Viena

Se estiveres prestes a rumar a Viena, ou à procura de um destino para a tua próxima viagem, este post é para ti.

Achei por bem complementar todas as dicas que deixei no instagram com um post no blogue que trouxesse mais informação. Quando viajo gosto de falar com alguém que já tenha ido a esse destino, recolher o máximo de informação por quem já a tenha experienciado (plot twist: nunca confio lá muito no que leio na internet ahah).

Este post é para aqueles que, como eu, não acreditam nas primeiras coisas que surgem nas páginas de pesquisa, e traz algumas dicas de coisas que aconteceram comigo e que de facto podem ser-te úteis.

Dicas gerais:

  • Os transportes são frequentes, rápidos e a melhor maneira de te deslocares. Podes comprar bilhetes individuais, mas a melhor opção serão os de 24, 48 ou 72 Horas (este último custa €17,10);
  • Caso utilizes o CAT (City AirPort Train), tens cacifos para deixar a tua bagagem GRATUITAMENTE. É bastante útil quando só viajas ao final do dia mas fizeste check-out de manhã. Podes deixar as malas por um período de 24h;
  • Na estação do CAT, e isto é super pratico caso viajes com bagagem de porão, podem despachar essas malas directamente para o aeroporto nas 24h anteriores ao voo (só funciona, pelo que percebi, para as companhias das Star Alliance [TAP, por exemplo] e Austrian Airlines);
  • Em Viena tudo se paga. Os bilhetes para praticamente todos os museus, palácios e monumentos estão à venda online – em alguns casos ficam mais baratos e como têm filas específicas, ainda reduzem o tempo de espera para entrar;
  • Viena é uma cidade enorme e com muita gente. Por isso, se querem garantir que comem mesmo no restaurante que ouviram falar, marquem mesa com antecedência (queria ir a um dos sítios mais conhecidos para comer Wiener Schintzel e estava lotado para todos os dias que estive lá);
  • Por ser enorme também significa que há muitas opções no que toca a comida (vê a lista abaixo);
  • No que toca a souvenirs, cada um sabe de si – Viena é uma cidade cara, mas não te apoquentes, há soluções para todos os bolsos! A Áustria é conhecida pelos seus chocolates (já deves ter ouvido falar nos Mozarts ou nos Waffers Manner): é de evitar portanto as lojas só de chocolates e procurar nos supermercados (bem mais barato!)

Além da lista de locais que encontram no Instagram (@cameirateresa), decidi colocar aqui mais umas dicas de coisas que fiz / sítios que devem ir:

  • Ir a um concerto de música clássica. Viena é sem dúvida uma das capitais da música clássica, pelo que ir lá e não ver um concerto… existem milhentas opções de locais e peças a ouvir. Acabamos por ir assistir a um concerto de Vivaldi na Karlskirche. Comprei lugares para estar em pé (€12 cada) e o truque é chegar cedo para ficar num local com visibilidade.
  • Subir a Kahlenberg. Escolhe um dia com sol e sobe para ver a melhor vista de Viena. Podes apanhar o autocarro 38A, e ir até esta montanha a cerca de 15 minutos do centro. A vista é desafogada, e o caminho muito verde (já eu fui num dia farrusco e além de passar um frio descomunal, não vi a vista muito nítida)
  • Pátios. Viena é uma cidade enorme, por isso tens muito por onde te perder. Uma das minhas formas favoritas era explorar todos os túneis e passagens entre prédios – ou acabam noutra rua do outro lado do quarteirão, ou terminam em pátios geralmente bem cuidados e com as mais diversas coisas (cafés, esplanadas, lojas, jardins)
  • Igrejas. Se são fãs de arte, as igrejas de Viena são uma verdadeira surpresa. Não falo especificamente de arte sacra, falo de construção e espólio do Alto Barroco como nunca antes tinha visto. Foi talvez o que mais me surpreendeu – Vienna está cheia cheia de igrejas!

E para quem duvidar “ah e tal mas não publicaste fotografias de comida no feed?” Fica a lista abaixo do que têm de comer em Viena.

Começamos com os salgados:

  • Wiener Sausage @ Wiener Würstelstand – Pode comer-se no pão ou no prato, com Mostarda (obrigatório) e Rábano ralado, bem picante e delicioso!
  • Spätzle – é uma espécie de pasta à base de farinha e ovos, tradicional do sul da Alemanha, Áustria e Tirol. Comi num Mercado de Páscoa (Ostermarkt Schönbrunn), mas encontram em vários restaurantes também.
  • Wiener Schnitzel @ Esterházykeller – O Schnitzel tradicional de Viena é de vitela, embora seja comum encontrá-lo também de porco. Este restaurante foi-me recomendado e não desiludiu – é localizado numa cave, com mesas de madeira e bancos corridos. Além do Wiener Schnitzel, comemos também o Porco assado (Pernil), tudo acompanhado por salada de batata (de babar) e boa cerveja.
  • Käsewurst  e Waldviertler @Bitzinger – Aberto das 8h às 4h, que nem sequer vos ocorra uma desculpa para não irem ao Bitzinger provar as mais deliciosas salsichas. A Käsewurst é uma salsicha de queijo (queijo senhores!) e a Waldviertler uma salsicha fumada – ambas deliciosas, e só fiquei com pena de não ter provado todas as outras!
  • Spareribs @ Salm Bräu – Entrecosto, suculento, com um molho maravilhoso – para comer à mão e sem vergonha! (convém reservar mesa, e aconselho a evitar às Sextas-Feiras e Fins-de-Semana)
  • Ofenfricher Schweinsbraten mit Kartoffelknödel @ Heuringer Redinger (Klosterneuburg) – Esta vila fica a 20 minutos de Viena, e decidir incluir este restaurante porque é realmente bom. Além da vila valer a visita, é uma região vinícola e podem provar vinhos e comida deliciosa. Este prato é Porco Assado, acompanhado por uma Bola de Batata cozida a vapor, muito delicioso. O serviço é muito atencioso, e a prova de que com boa vontade e Google Tradutor, tudo se consegue.

E agora os doces!

  • Sachertorte @ Demel – é o bolo que surge de cada vez que pesquisam por Viena. É um bolo de chocolate bem fofo, com uma camada de doce e uma cobertura de chocolate crocante, acompanhado com natas batidas. Ora, compreendo o bolo, é agradável, mas não é bolo para mim (eu sou muito picuinhas com bolos de chocolate). A Demel é uma das confeitarias onde podem provar a Sachertorte, e vale a visita – nem que seja para ver a cozinha, que é aberta! Fiquei muito hipnotizada com aqueles bolos todos a serem feitos.
  • Esterházytorte @ Aida – Aida é uma das pastelarias mais reconhecidas de Viena, existindo várias espalhadas pela cidade. Têm muitas opções de bolos, uns mais tradicionais, outros criações próprias. O Esterhazytorte diz-se ser tradicional da Hungria, mas no que toca à gastronomia desta zona da Europa, convém lembrar que em tempos existiu o Império Austro-Húngaro, e que muitos dos pratos são partilhados por vários países. Este bolo foi o meu favorito, deu vinte a zero à Sachertorte: Bolo de avelãs em camadas finas, intercalado por um creme de manteiga delicioso, mais amêndoas por fora e um glaze a fazer lembrar o que vemos no mil-folhas. É muito muito bom (bolas, agora tenho vontade de comer uma fatia)!
  • Topfenstrudel @ Heuringer Redinger (Klosterneuburg) – não, não comi Apfelstudel em Viena! Depois de provar esta versão de Strudel feita com um recheio de queijo e servido com um molho de baunilha, foi aí que decidi que vivia bem sem comer a versão de maçã.
  • Mohnzelten @ Naschmarkt – é um pequeno bolo de massa amanteigada e tradicionalmente recheado com sementes de papoila. É comum encontrá-lo na República Checa, Hungria e países da Europa Central. Em Viena comi-o no Mercado, onde têm várias bancas a vendê-los.
  • Gelados! Porque não bastavam todos os outros bolos, tive de comer uns gelados também. Recomendo os do Veganista e os do Biosk.

Eu ia escrever um post pequenino, mas acabei por me alongar (Ana Teresa sendo Ana Teresa).

O que acharam? Gostavam de mais uns posts destes? O vosso feedback é sempre importante para saber que estou a produzir conteúdos que vos interessam 🙂

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *