Os meus essenciais para Food Photography

Nisto da fotografia de comida, o que custa mais é começar! Deixo-te os meus essenciais para te ajudar a dar o primeiro passo ou a evoluíres nas tuas fotografias!

Sempre gostei de fotografar, mas foi quando comecei a fotografar comida para ilustrar as receitas que criava, que percebi que havia muito mais além da minha máquina e vontade de fotografar. Gostava que me tivessem dito e explicado que há tantas mais coisas para utilizar, mas a verdade é que fui aprendendo com o tempo e adaptando os equipamentos e materiais às minhas necessidades. Assim, deixo-te aqui aquilo que uso diariamente para fazer o meu trabalho da melhor forma possível. É adaptado à minha realidade, pelo que poderão faltar coisas que tu já utilizas. Espero que te seja útil!

nota: nenhum dos links inseridos nesta publicação são links afiliados nem tão pouco este post é patrocinado. Uso este equipamentos diariamente e incluir os seus links directos torna tudo mais simples para ti!

Não é a máquina que tens ou objectiva que utilizas que faz de ti melhor ou pior fotografo – é a utilização que fazes da sua combinação. Saber manusear e explorar todas as funcionalidades do equipamento que já tens é meio caminho andado para melhores resultados. Eu comecei por utilizar a minha máquina digital bem simples, e depois de a dominar bem e perceber como queria de facto as minhas fotos, evolui para uma DSLR – Nikon D3200 – à qual juntei uma objectiva de 50mm. Depois de muitos anos, senti que precisava de evoluir para uma máquina mais pequena e versátil que também permitisse fazer vídeo com alguma qualidade. Assim, de momento utilizo uma Mirorless Sony Alpha α6000 com uma lente de 50mm f/1.8, mas estou a poupar para investir numa nova máquina (em princípio a Sony a7 iii)

No que toca a tripés o meu conselho é que não sejas forreta. Mais vale investir num bom tripé, do que arriscar num tripé menos resistente que depois acabe por ceder ao peso do equipamento que uses. Estes são as meus conselhos na hora de comprar um:

  1. Escolhe um tripé robusto que suporte o peso da máquina e objectiva
  2. Para poderes fazer fotografias a 90º, o tripé tem de ter uma coluna central móvel
  3. Verifica se o tripé tem a cabeça rotativa a 360º, pois desta forma é garantido que vais conseguir fotografar ou gravar em múltiplos ângulos
  4. Verifica que os pés têm vários níveis para poderes usar o tripé a várias alturas

Manfrotto 290 Dual, com cabeça 3W | Neewer com coluna centra 360º

Sempre fotografei com luz natural e sem dúvida que é com ela que obtenho os resultados de que mais gosto. Contudo, se por um lado o resultado são fotografias muito naturais e com luz subtil, a verdade é que estar dependente de um factor natural e externo para trabalhar acaba por limitar muito a fluidez do mesmo. Para fotografares com luz natural deverás ter portanto uma janela, algo que te permita filtrar a luz (eu uso papel vegetal branco ou algum tipo de revestimento fosco e maleável) e reflectores (eu uso uma placa de k-line branca) – para começares é mesmo forma mais simples e que ter vai permitir alcançar resultados bonitos.
Apesar de continuar fotografar perto da janela como minha fonte principal de iluminação, recorro a uma Ring Light para complementar e equilibrar a luminosidade.Ainda assim, estou limitada à luz inconstante, o que me vai levar a investir muito em breve em luzes de estúdio.

Baterias suplentes com um carregador independente – este é o segredo para não perder facilmente a cabeça quando estás a fotografar ou a gravar. Aconteceu-me inúmeras vezes ter de interromper o trabalho e ficar à espera que a bateria carregasse. Por isso recomendo mesmo que compres baterias extra, e se possível um carregador usb, para poderes colocar as baterias a carregar sem ser necessário fazê-lo na máquina, e desta forma consegues trabalhar de forma contínua, sem estar dependente de nada. Ao comprar, tem atenção à voltagem para garantir que as baterias são compatíveis com a tua máquina – Baterias extra com carregador USB

Muitas coisas podem ser usadas como fundo para as tuas fotografias: uma porta velha, a bancada da cozinha ou até o chão da sala. A verdade é que isso limita bastante na hora de fotografar ou gravar pois estão limitados ao espaço em que se encontram. Os fundos de vinyl são maleáveis, o que os torna fáceis de transportar e limpar. Os fundos permitem ambientes diferentes, o que torna os resultados muito mais dinâmicos. Fundos vinyl Club Backdrops

Neste departamento, nem sequer posso dizer que menos é mais ou o contrário. Porque todos os pratos, talheres, panos, texturas reflectem o modo que queres para cada uma das fotografias e o teu estilo pessoal. O meu conselho antes de te lançares nas lojas e marcas é começares por ver o que tens em casa, depois em casa dos teus pais e avós, seguida de um bom passeio por feiras de rua e mercados de segunda mão. Há autênticos tesouros escondidos, basta andar atento e procurar. Ficam algumas das lojas onde costumo comprar os meus props:

Espero que com estas dicas te ajude a começar ou a dar o salto para arriscares mais com as tuas fotografias. Acima de tudo lembra-te que só se evolui ao continuar a fotografar muito.

Já usas algum deste equipamentos? Gostas deste tipo de artigos? Diz-me nos comentários.

Beso Queso, Teresa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *