Rolos de perú com espinafres e queijo da ilha – Ovelha Negra ft Mariza Seita Photography

Tal como no sushi as combinações são as mais variadas, numa outra versão destes rolos de perú, inovam-se os sabores e elevam-se ingredientes banais a pratos elaborados e de encher o olho.
São ainda mais especiais por terem sido feitos para a sessão que tive com a minha querida Mariza.

Por mais palavras que aqui escreva, nunca serão suficientes para agradecer à Mariza a incrível oportunidade que foi esta sessão que partilhamos.
Além da maravilhosa Tarte de amoras silvestres, fiz ainda estes rolinhos. Se bem se lembram já será a segunda ou terceira vez que os faço por aqui, e ainda assim não me canso. O motivo? Fazer um prato bonito aos olhos, com paladares tão nossos conhecidos e que se encontram construídos de maneira diferente. Para surpreender não é preciso gastar muito. E afinal, bifes de perú podem dar azo a pratos incríveis.
 
Rolos de perú com espinafres e queijo da ilha
Ingredientes, para 2 pessoas:
2 bifes de perú largos
Queijo da ilha
2 mãos cheias de espinafres
Mel
Mistura de sementes (as da vossa preferência)
1 colher de chá de creme vegetal para cozinhar
Sal e pimenta
Palitos e película aderente
Começa-se por estender os bife de perú numa tábua, e com a ajuda e uma frigideira larga, bate-se em cada um para que fiquem mais finos. Tempera-se com sal e pimenta, e num dos lados pincela-se com o mel, e polvilha-se com as sementes. Por cima da camada de mel, coloca-se película aderente; virar o bife, de forma a que se fique com o interior virado para cima.
Numa frigideira, salteiam-se os espinafres em azeite, apenas o tempo suficiente para que amoleçam mas permaneçam verdes.
Dispõe-se os espinafres por cima do bife, e em cima destes, rala-se queijo da ilha a gosto. Com cuidado, enrolam-se os bifes no sentido longitudinal, de forma a que fiquem compridos, apertando-se com cuidado a película aderente para que o recheio não saía para fora. Levam-se ao frigorífico por 10 minutos.

 

 

 

 

Depois de retirados do frigorífico, desenrola-se a película aderente e, com a ajuda de palitos partidos ao meio, fecham-se os rolos – colocam-se os palitos nas pontas do bife e introduzem-se para o centro do rolo; nas pontas, tenta-se fechar o rolo.

Aquece-se uma frigideira com o creme vegetal para cozinhar, e cozinham-se os rolos – primeiro em lume alto para que a parte de fora caramelize, e depois em lume mais brando para que os bifes não sequem e fiquem tenros no interior.

 

 Para acompanhamento, fiz Abóbora assada: Limpam-se de pevides 2 pedaços de abóbora; envolvem-se em papel de alumínio e levam-se ao forno até que a abóbora fique mole.

Optando por uma esmagada, temperar com sal, pimenta e um pouco de mel para acentuar a doçura da abóbora assada.

 O sabor forte do queijo da ilha contrasta na perfeição com a leveza dos espinafres, envolvidos num bife de peru fino caramelizado com sementes. Na minha opinião, uma combinação que resulta muito bem. Ah e a Mariza gostou 😉

(Raça da miúda que além de talentosa é gira pra cacete!)
Mariza Seita

12 thoughts on “Rolos de perú com espinafres e queijo da ilha – Ovelha Negra ft Mariza Seita Photography

  1. Não me queres emprestar a Mariza? 😉
    Adorei os rolinhos de peru, ficaram mesmo com bom aspecto! Há uns dias fiz uns filetes também recheados com espinafres e queijo da ilha… faltou-mesmo foi a Mariza lol
    Bjos

  2. Achei engraçado a parte de amassar os bifes com uma frigideira 😛 Eu tenho para isso um martelinho de metal 🙂 (que é capaz de até dar jeito num apocalipse de zombies. Não que acredite. Claro. Nem tenho uma cave escondida com lanternas a pilhas e enlatados. Naaaah. ;)).
    Achei os rolinhos muito giros 🙂 Já fiz uma vez e gostei bastante, nem sei como não repeti 🙂
    Gostei de ver as sementes a voar do frasquinho 😀
    São todos talentosos e giros para cacete – e digo todos porque os rolinhos estão incluídos hahaha 🙂

    1. Também tenho esse, e outro de madeira – mais os outros para pregar pregos e martelar móveis, estou pronta para o apocalipse zombie! Vai de frigideira para que não fique com umas partes altas e outras super fininhas – dispersão igualitária da força (ena tou aqui a falar que nem uma expert)
      Isto de tirar fotos a sementes voadoras tem o que se lhe diga 😉 E sim, isto faz um brilharete, não dá trabalho nenhum e fica super giros – não há como negá-lo!
      Se são, estes rolinhos esbanjam talento :p

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *