Houmus – Há vida para além da massa de atum #12

Já ouviram o nome deste prato, mas desconfiam que seja difícil de fazer e caro? Tirem já daí o sentido e venham conhecer os sabores do médio oriente numa única taça!

Sabem quando têm convidados em casa ou vos apetece simplesmente caprichar no jantar, e querem fugir ao típico paté de atum ou de delícias do mar? Esta pasta é aquilo que procuram.
Diferente e que surpreende qualquer grupo de amigos por fugir às tradicionais pastas que abusam da maionese, esta é a minha sugestão para mais uma quinta-feira de “Há vida para além da massa de atum”.
Feito com grão, o houmus é simples de fazer e super delicioso.

Vamos lá gente, que dia 5 acaba o desafio#3 “Euro-poupança: pratos principais a 1€ por pessoa”, e estou à espera das vossas participações!
(consultar regras aqui)

Já tinha ouvido falar de houmus: em livros, em filmes, e mais recentemente em blogs de culinária. Mas nunca tinha feito, até ao dia em que vi esta receita mega-super simples e hiper.estrondosamente deliciosa.
O blog em que vi esta receita é o Minimalist Baker , que sem sombra de dúvidas, é um dos melhores blogs de culinária de sempre. Pratos simples, poucos ingredientes, muito sabor – e fotografias com imensa qualidade e bom gosto. Quando for grande quero ter um blog igual!

Receita original aqui

Ingredientes:
250g de grão cozido, com um pouco de caldo
2 dentes de alho
1 col.sopa de azeite
3 col.sopa de sumo de limão
Sal
2 col.sopa de cebolinho picado

(a receita original leva tahini, uma pasta de sêsamo muito utilizada na cozinha do médio oriente; como não tinha, nem fui comprar, optei pelo cebolinho para lhe dar um gosto diferente)

Numa taça mistura-se o grão com os dentes de alho e o sal, e leva-se ao microondas por 4 minutos.
Juntar o sumo de limão e o azeite e triturar até obter uma pasta uniforme. Misturar o cebolinho, colocar numa taça bonita e levar ao frigorífico por umas horas.

Follow A Ovelha Negra: Facebook – Instagram

Chips de Batata Doce / Sweet Potato Chips

A cozinha é feita de coisas simples e saborosas. Sem grande invenções consegue-se surpreender. E sem grandes malabarismos fazem-se petiscos destes.
Estes chips são tão simples quanto saborosos e saudáveis – espantem-se, mas não levam gordura nenhuma 🙂


{scroll down for english version}

Para entrada, para acompanhamento ou para petiscar porque apetece, estes chips não desiludem, e são muito facéis de fazer. Para mim a parte chata é mesmo só descascar a batata doce; de resto, estes chips são tudo para mim. 

Não é novidade que A-DO-RO batatas fritas! Para contrariar a vontade atroz que tenho de me atracar a um pacote de batats, tenho feito estes chips, ora de batata doce, ora de batata normal, e sabem tão bem quanto as fritas.

Ingredientes:
1 batata doce – assim para o comprido e mais fina
Sal
Óregãos

Pré-aquecer o forno a 200ºC, e com ambas as resistências ligadas

Descascar e fatiar a batata doce (eu utilizei uma lâmina). Dispôr as fatias da batata num tabuleiro forrado com papel vegetal. Temperar com sal e óregãos. 
Por fim, levar ao forno e retirar quando estiver douradas – o tempo varia de forno para forno (e o meu que não funciona leva uma vida).


{English version}

I love chips! But since they’re not so healthy, I came up with this great alternative – sweet potato turned into chips, but not fried. Yup, this delicious chips are made in the oven, and once you trie them, you will become obssed with them 🙂

Ingredients:
1 sweet potato, cut into thin slices
Salt
Oregon
Pre-heat the oven at 200ºC.
Place the slices of sweet potato in a baking tray. Season with salt and oregon, and take to the oven – the chips are ready once they turn gold.

E foi com estes chips que acompanhei os hambúrgueres de tofu (cuja receita publiquei ontem)

Prato cozinhados com amor, e fotografados com paixão.
Check out my facebook.

Ceviche de peixe gato com manga #3


Um sabor mexicano, fresco e picante q.b. E desengane-se quem ache que é um prato caro ou difícil 🙂

Antes do prato, espero que este projecto vos esteja a agradar. Eu e a Vânia do Coisas e Coisinhas estamos a adorar fazê-lo. 🙂 E contamos com as vossas participações, agora que o desafio está no ar (Saibam mais aqui

O peixe gato é um peixe que faz torcer o nariz a muita gente. Mas a mim não. Compro-o congelado, em filetes, e por um preço muito apetecível. os pratos que se podem fazer com este peixe são inúmeras, e fazem deste peixe um ingrediente muito versátil.

Depois das minha aventura pelos sabores mexicanos do Las Ficheras em que provei esta iguaria pela primeira vez, decidi-me a recriá-la à minha maneira.
Para quem esteja a pensar que sou tontinha em colocar manga numa receita para este projecto que promove receitas económicas e deliciosas, não fiquem já de pé atrás – é que já tinha cozinhado este antes de puder fazer outro. A manga pode ser substituída pela maçã – uma fruta que todos temos em casa. Fica igualmente delicioso e muito económico. 
É uma óptima opção para entrada, fresca e ideal para o Verão 🙂
Ingredientes:
1 filete de peixe gato em pedaços pequenos
1/2 cebola picada
2 col.sopa de coentros picados
1/2 malagueta vermelha picada
1/4 de manga ou 1/2 maçã em cubos pequnos
Sumo de 1 limão pequeno
Sal q.b
Misturam-se todos os ingredientes numa taça e mexe-se muito bem. Tapa-se e leva-se ao frigorífico por 2 horas.
Servir com pão torrado em fatias finas. Acompanhar com uma sidra ou uma cerveja fresca, com o pôr-do-sol a abrilhantar a cena 🙂
Prato cozinhados com amor, e fotografados com paixão.
Check out my facebook

Tiborna com queijo de cabra e tomilho

Quando temos um jantar mais composto, em que temos visitas ou simplesmente porque temos pão que já está a ficar duro, mais vale ligar o forno e inventar umas tibornas.
Estas foram feitas em 5 minutos, e ficaram bastante saborosas.
 
Ingredientes:
Fatias de pão, com a grossura de 1 dedo
Queijo de cabra fresco
Tomilho
Azeite
 
Cortar o pão, regar com azeite e levar ao forno para torrar. Esmigalhar o queijo com folhas de tomilho, juntar m pouco de azeite e misturar até obter um creme.
Tirar o pão do forno, espalhar o creme de queijo por cima e levar novamente ao forno por 2 minutos.
Servir de imediato.

Prato cozinhados com amor, e fotografados com paixão.
Check out my facebook.

Rolinhos de cogumelos, puré de bróculos e queijo de cabra

Jantares, jantaradas, patuscadas – por mim tinha deste eventos todas as semanas. Adoro ter a casa cheia de gente, poder cozinhar para os meus amigos, e ver que eles gostam tanto com eu.
Para um desses jantares, andava a magicar uma entrada, e esta foi um total improviso – abri o frigorífico, vi o que havia e tcharan, eis que surgiram estes rolinhos.
Como não tinha espinafres, nem me apetecia ir buscá-los ao quintal, optei pelos bróculos, e a combinação resultou muito bem.

Ingredientes:
1 rolo de massa quebrada, de compra
8 “tronquinhos” de bróculos – podem ser congelados
10 cogumelos “paris” frescos, picados
1/2 cebola picada
1/2 queijo de cabra “tipo palhais”, em cubos.

Começa-se por cozer os bróculos, que de seguida se vão saltear em azeite. Reduz-se a puré, juntando mais um pouco de azeite para que fique mais cremoso; reserva-se. Na mesma frigideira frita-se a cebola e s cogumelos. Junta-se o puré de bróculos, deixa-se cozinhar por uns 3 minutos e desliga-se. Envolvem-se os cubos de queijo.

Coloca-se este recheio sobre a massa quebrada, e enrola-se como se fosse uma tarte. Envolve-se em papel vegetal. leva-se ao frigorífico.

Quando for hora de os fazer, retira-se o rolo do frio, e corta-se em fatias com a grossura de 2 dedos. Leva-se ao forno até que fiquem dourados.

Uma entrada muito simples, mas cheia de sabor. Porque ter amigos para jantar não significa muito trabalho para o anfitrião 😉