Viver sem um rótulo

Decidi escrever este texto porque acho que posso estar a gerar confusão em algumas cabeças com a minha frequência de receitas sem carne, interrompidas por alguns (muitos) bolos, tartes e bolachas que levam ovos e manteiga.

Preciso de um rótulo? Eu acho que passo bem sem ele.

A Ovelha Negra é mesmo a Ovelha que não segue o rebanho. Não consigo rotular o meu blog de “cozinha tradicional”, “cozinha de fusão”, “cozinha simples”, “cozinha vegetariana”, “cozinha molecular”, “dicas e truques”, “roteiros e sugestões gastronómicas”…
Os rótulos são extremamente redutores. Não me encaixo em nenhuma categoria a não ser a de “Blog de culinária” – não condeno quem tem efectivamente um blog que se encaixe nas categorias acima enunciadas, acho até que é um privilégio conseguir descrever o vosso blog tão bem. Já eu, querendo ser tão diferente, não me encaixo em nenhuma categoria em especial, mas vou buscar um bocadinho de todas no geral. Mas será que a falta de um rótulo induz-vos em erro?
“Ah vi no blog da Ovelha Negra uma receita vegetariana no outro dia, se calhar ela é vegetariana” “Oh hoje temos um bolo como aqueles que a minha mãe fazia, que blog tão tradicional” – bem, acho que estou a pensar demasiado nesta questão, do receio de  não conseguir transmitir-vos um conceito bem definido.

Mas voltando à questão da carne (ou mais à falta dela)
No outro dia, em conversa, calhou eu dizer que não comia carne há já uns dias. 
– “Oh, mas agora és vegetariana ou vegan ou lá essa gente que só come verdes?”
– Não, não é isso. Continuo a comer peixe e às vezes carne, mas quando sei de onde é que ela vem.
– “Então, mas não comes carne sempre?  Isso é ser vegetariano!”
Este diálogo não é real mas podia ser, pois eu e a minha irmã tivemos uma conversa parecida com a nossa avó e as semelhanças são claras.
Para a maioria das pessoas quem não come carne é vegetariano. Pronto, até pode estar certo. 
Quem não come derivados animais será vegan (corrijam-me se estiver errada)
Mas e quem só come carne quando sabe a sua real origem, continua a comer peixe e os restantes alimentos? (vazio) 

Isto desconcerta muitas pessoas. Seria hipócrita se dissesse “Sou vegetariana”. Porque não corresponde minimamente à verdade.Vivemos demasiado dependentes de rótulos – se pertencermos a um rótulo ou de rotular os outros, para que tudo seja organizado, em caixinhas, em grupinhos… 
Não preciso disso. 
Não quero um rótulo! Vivo bem sentido que faço parte da sociedade, mas com a minha própria identidade informada e consciente 
Vou tentar responder a algumas perguntas que eu acho que possam ter (bem agora devem achar que me levo demasiado a sério)
  • Reduzi drasticamente o meu consumo de carne? Sim. Continuo porém a comê-la. Já por aqui expliquei que o meu processo de redução do consumo de carne foi uma coisa natural, consciente e informada, feita em parelha com a minha irmã. 
  • Continuo a comer peixe e marisco – adoro peixe, não consigo evitar. E não há maneira de me curar.
  • Consumo ovos, manteiga e outros derivados animais – verdade. Sou uma doceira por natureza, e ambiciono ser pasteleira – adoro fazer (e comer) bolos, bolachas, tartes, biscoitos… E essas coisas levam ovos, manteiga e outros que tais. Mas tento utilizar ovos caseiros e produtos derivados do leite que sejam produzidos em Portugal (ter uma irmã quase-veterinária e que sabe como as coisas são produzidas é mesmo uma grande fonte de informação – se querem consumir, que consumam português)
  • Dupliquei a quantidade de vegetais que como – Sempre adorei vegetais, e nunca me custou comê-los. Aumentar o seu consumo foi natural, e já não passo sem eles
Uma pequena explicação que me andava na cabeça há uns tempos. Até podem nem estar “preocupados” com estas questões mas achei que podia esclarecê-las.
Não querendo ser pretensiosa, o que desejo é que A Cozinha da Ovelha Negra tenha um pouco de tudo. O que vêm aqui é o reflexo dos meus interesses – tanto vejo receitas de bolos decadentes como de receitas vegan. 
Quero que se sintam bem por aqui. Sem rótulos ou com eles, são todos bem vindos!

Follow A COZINHA DA OVELHA NEGRA



9 thoughts on “Viver sem um rótulo

  1. Olá Teresa,
    O esclarecimento era desnecessário porque todas as receitas que partilhas por aqui são boas 🙂 mas acredito que sentisses que precisavas de o fazer. Eu própria já o senti. Uma pessoa publica uma receita com seitan e no dia a seguir leva logo na cabeça porque publica outra com frango, ou lombinho de porco ou qualquer coisa do género. Por isso, identifico-me perfeitamente com o teu desabafo. Mas, por mim, podes continuar como até aqui 🙂
    Beijinhos, Paula

  2. (Esse café tem algum significado profundo que eu não esteja a alcançar? Será de alguma marca com um rótulo específico? Ou será da marca delta Q, que é parecido com delta t (:P) e portanto significa intervalo de tempo, se calhar intervalo de tempo em que não comes carne? Está a matar-me 😛 )
    (e lemon curd? É por ter um rótulo ou por ter manteiga?)
    Também não sou boa a rotular coisas, até porque o meu blog é mais ou menos de receitas saudáveis mas acaba por adotar uma logística diferente (do género bolo -scones saudáveis – bolachas pecaminosas – waffles integrais – tartes de limão – papas de aveia com claras 😛 ). Quando eu tinha uns 19 anos ofereceram-me uma máquina que imprimia letras em fitinhas vermelhas (ainda agora tenho bancos com um papel vermelho colado a dizer "banco", mas continuemos) e mesmo assim não melhorou, sabe-se lá porquê… Talvez os senhores que põe aquelas etiquetas rosas de produtos fora do prazo do continente nos possam ajudar 😉
    Há gente super-ignorante relativamente a vegetarianismo 😛 O outro dia assisti em primeira fila ( = fui interveniente) a uma discussão sobre vegetarianismo, já que o meu oponente dizia que os vegetarianos COMEM PEIXE. Palmas pela sabedoria desta gente 😛
    Há alguns termos para essa resposta: consciente, equilibrada, ligeiramente oportunista (só um bocadinho 😛 Porque se a questão é não gostar muito de carne então não é uma questão de crenças nem muuuuito de saúde, que os peixes também têm essas coisas todas) ou, a minha preferida, vegetariana intermitente 😉
    Hah faq's 😛
    Que giro, a tua irmã é veterinária 😀
    Duplicaste mesmo? Tipo, em vez de 10 bocadinhos de bróculos comes 20? Em vez de uma sopa comes duas? Ou só aumentaste? 😛
    Eu gosto de coisas com ou sem rótulos. Com também há coisas muito fixes que têm o rótulo da silvercrest!
    (máquina de waffles, máquina de waffles, máquina de waffles)
    Por acaso (concluindo), acho estúpido que as pessoas digam: Sou vegetariana. – A sério, NUNCA comes carne nem peixe?! – Ah, como peixe (ou – brilhante – como carnes brancas.)
    Já assisti 😛 Pessoas com falta de informação, mesmo enveredando por essa corrente… mas pronto 😛
    (ovelha negra não é um rótulo? Podias fazer um rótulo gigante a dizer ovelha negra. E VESTI-LO! Brilhante. Já agora, espera, espera… VESTIDA DE REFRIGERANTE! Oh-Meu-Deus. Agradece-me depois.)

    1. Avelã, és a maior! Ainda estou a rir depois deste comentário 😀 Eu vestida de refrigerante, com uma peruca de caracóis pretos e invocar a pelagem das ovelhas negras = fato de carnaval 2015!

  3. Olá, boa tarde. Passei a seguir o seu blog há pouco tempo e o que mais gostei nele, foi o facto de ter variedade de ingredientes, alguns deles que tinha vontade de experimentar e nunca tinha encontrado receitas que me agradassem. Por exemplo, gostava de provar tufu, contudo as receitas que encontrava na net não me agradavam o suficiente para arriscar, pois não queria correr o risco de não gostar pelo facto de o ter cozinhado mal. Hoje experimentei a sua receita de hambúrguer de tofu e cogumelos com o creme de ervas e as batatas laminadas no forno. Tanto eu como o meu marido, adoramos. Com tudo isto quero dizer que compreendo o problema dos rótulos, pois apesar de gostar de experimentar alimentos mais usados por vegans, p.e., não quer dizer que me queira "converter", de maneira nenhuma.
    Parabéns pelo seu blog, gosto muito.
    P.S. também já experimentei a quiche de legumes e atum (sem massa) e está aprovadíssima.

    1. Comentários como estes deixam-me de coração cheio 🙂 Fico contente por ter sido "responsável" pela introdução do tofu e de outros ingredientes na tua cozinha! E por o facto de eu ter uma cozinha tão variada chamar a atenção pela positiva!
      Muito obrigada – por experimentares as minhas receitas, e por este feedback tão bom 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *