Caril de beringela e lentilhas

Quem disser que o caril é um prato demorado e que só serve para ocasiões especiais, claramente nunca me viu a cozinhar – porque para mim, com jeito e técnica, tudo se pode fazer quando o tempo é curto.

Se me apetece caril faço-o; sem problemas, sem pensar muito no assunto.

A questão passa por – é este um caril verdadeiro? Não sei, tenho de ir à Índia tratar de aprender o “vero” caril – muito embora esta receita me faça lembrar uma fusão de uma sopa e de um caril que aprendi a fazer num workshop da comunidade hindu de Lisboa.
Até lá mantenho-me com a minha obstinação de fazer caril quando me apetece e parece que o tempo não o permite.
Para acelerar os pratos o truque é ter parte dos ingredientes já cozinhados (neste caso as lentilhas), escolher outros ingredientes que cozinhem relativamente rápido (a beringela) e cortar tudo em pedaços pequenos.
Opto por cozinhar ainda numa frigideira larga, porque consigo controlar melhor o prato – chamem-me herege, digam que tenho a mania por não cozinhar num tacho: só sei que demoro muito menos tempo e que a comida fica igualmente saborosa.
Uma óptima sugestão para uma Meatless Monday – deliciosa, aromática e que nos aquece alma, parecendo levar-nos para outras paragens mais soalheiras.
Caril de beringela de lentilhas
2 chávenas de lentilhas vermelhas cozidas
1 beringela, cortada em cubos
1 tomate (sem pele)
1/2 cebola picada
3 talos de aipo picados
1 colher de sobremesa de caril em pó
1 colher de chá de gengibre em pó
1 colher de sopa de gordura vegetal (utilizo Becel culinária)
Sal e pimenta a gosto

 

 

Cozem-se as lentilhas de véspera e guardam-se escorridas, mas conserva-se o caldo, que pode vir a ser necessário para o caril.
Para base do nosso caril vamos começar por picar o aipo e a cebola em pedaços pequenos, para que tudo seja mais rápido. Aquece-se a gordura vegetal numa frigideira larga e, quando bem quente, juntam-se os legumes picados.
Já que estamos com a “mão na massa”, parte-se em cubos a beringela e junta-se à espécie de refogado que crepita na frigideira. Deixa-se cozinhar por 5 minutos e juntam-se as especiarias, aumentando o lume e não parando de mexer.
Cobre-se este preparado com o caldo de cozer as lentilhas e junta-se o tomate partido em pedaços; deixa-se levantar fervura e cozinhar por 5 minutos.
Juntam-se então as lentilhas, envolve-se bem e baixa-se o lume; voltar a tapar e deixar apurar por mais 5 minutos (e se necessário juntar um pouco de água).

 

 

 Pode acompanhar com arroz basmati ou até com quinoa – eu preferi comer assim, sem mais nada.
Temos leguminosas e vegetais, e por isso um prato equilibrado. Os sabores são fortes e característicos, levando-nos para longe.
Uma experiência sensorial num prato que se fez em menos de 30 minutos.

 

 

Follow A COZINHA DA OVELHA NEGRA
  

5 thoughts on “Caril de beringela e lentilhas

  1. Não costumo fazer caril, fiz uma vez e não era bem bem verdadeiro… Tenho a ideia de que não vou gostar muito, mas isto é como o sushi, há de haver uma razão para tanta adoração, eu é que não sei qual é 😛
    Lentilhas TÃO giras! Acho que sou capaz de ter um pacote delas aberto, agora onde… 😛
    Mas parecem imenso térmitas, compara só com a primeira imagem: http://tratamientosdetermitas.org
    Esse caril, seja ou não caril, tem muito bom aspeto e é mesmo agradável para um dia frio de chuva 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *