Caril verde de Maruca – Há vida além da massa de atum #22

Dei o nome de caril a este prato porque era mais fácil – no fundo este guisado que vos trago é o resultado de o caril ter acabado. Sabe a caril? Sim um pouco, mas é bom, prometo. É só um guisado mais apaladado.

Há dias em que não apetece cozinhar a ninguém cá em casa, e como os gatos ainda não podem chegar-se ao fogão – segurança infantil primeiro – há que desenrascar qualquer coisa. Descongelei à pressa umas postas de maruca que se cozeram em menos de nada  e pensei “bem, vamos lá fazer um caril disto”. Piquei cebola e os restantes vegetais, cozi mais uns camarões que andavam a rebolar no congelador, e quando chega a hora de torrar o caril e as restantes especiarias, surpresa! – apenas 1 colher de café de caril, que mal dava para dar cor quanto mais sabor. 
Mas nada de desesperos! Com outras especiarias à mistura, fazem-se pratos apaladados, e da espécie de caril. Só não ficam é iguais.
Não se esqueçam de passar pela cozinha da  Vânia no seu Coisas e Coisinhas, e ver o que ela nos trás hoje – pela certa, algo menos aldrabado do que o meu “caril”
Ingredientes, para 4 pessoas
4 postas de maruca
1 cebola grande
1/2 courgette
1/2 pimento verde
1/2 pimento vermelho
2 malaguetas vermelhas
1 col.sopa de creme vegetal para culinária (utilizo Becel culinária)
5 col.sopa de água
200g de miolo de camarão (opcional)
200ml de leite de côco ou natas de soja
1 molho de coentros
1 col.café de pó de caril
1 col.sobremesa de gengibre em pó
1 col.chá de noz moscada
1.col chá de mistura de pimentas
Cozem-se as posta de maruca em água abundante e com 1/2 molho de coentros – limpar de peles e espinhas. Cozer também os camarões. Reservar ambos separados e à temperatura ambiente.
Misturam-se as especiarias e levam-se a torrar numa frigideira larga por uns minutos. Retiram-se do lume. Derrete-se o creme vegetal para cozinhar e junta-se a cebola picada, deixando-se cozinhar até que amoleça. Junta-se então 1 col sopa de talos de coentros picados, as malaguetas picadas e as especiarias, e refoga-se em lume alto – quando começar a querer pegar, junta-se a água e baixa-se o lume. 
Juntam-se então os pimentos a courgette cortados em cubos pequenos, deixando cozinhar por uns 5 minutos. Adicionam-se os camarões, rega-se com o leite de côco (ou natas de soja), tapa-se e deixa-se cozinhar em lume brando por uns 15 minutos, mexendo de vez em quando. Rectificam-se os temperos, colocam-se por cima do preparado os lombos de maruca e deixa-se apurar por uns minutos.
Acompanhar com o típico arroz basmati ou com legumes salteados.

Follow A OVELHA NEGRA

12 thoughts on “Caril verde de Maruca – Há vida além da massa de atum #22

  1. Isso é horrivel… Acontece-me imensas vezes 😛 E às vezes até é porque me falta farinha ou açúcar… Que é o que eu acho sempre que tenho. A senhora da lojinha à beira da minha casa deve achar que eu sou uma anormal porque estou sempre a ir lá meio a despropósito 😛
    Só comi caril 1 vez, feito por mim… por acaso gostava de provar 'the real thing" 🙂 Mas toda a gente que conheço odeia… Isso e sushi. Ainda não percebi muito bem essa paixão, até me sinto excluída 😛
    Caril ou não, parece muito bom 🙂

    1. Dá cabo de mim! Pois eu como sou preguiçosa não vou à loja e desenrasco-me com o que há. Olha eu cá te digo que caril verdadeiro é muito bom. E sushi também – adoro sushi, antes de ser moda, como que nem uma foca obesa, é terrível.
      Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *