Suspiros tropicais

 Para mim o Verão não pede gelados, mas sim sobremesas frutadas e de sabor intenso. Desengane-se quem ache que hoje temos mais uma receita de pavlovas – ou eu sou muito aselha ou o meu forno é uma maravilha, mas hoje temos suspiros! Gigantes, mas suspiros.

Nunca comi pavlova na vida; agora suspiros, fui criada quase com suspiros! Em casa da minha avó sempre os houve, e ou muito me engano, mas no ribatejo comem-se os melhores suspiros de sempre. Crocantes por fora, húmidos, quase crús por dentro, que se colam ao dentes e se desfazem na boca lentamente.
É verdade que alterei os meus hábitos alimentares, mas se me ponho a ver programas culinários e a desfolhar livros, fico curiosa, o corpo e a mente pedem, e não tenho outro remédio senão satisfazê-los.
Por norma tenho sempre umas caixinhas de claras guardadas no congelador, que quando atingem as 10, se transformam num maravilhoso e fofo bolo de claras. Mas desta vez apetecia-me ser criativa e arriscar.
O meu forno, como é bem sabido, já só funciona à base de violência verbal e física  é o desespero, o fim do mundo em cuecas, mas ele não se dá por vencido; nem eu!  Agora com um forno novo, tudo é mais fácil!
Ora bem, nunca provei pavlova, mas achei que seria uma sobremesa bem gira e leve para uma tarde de Verão. Lancei-me na busca de uma receita, e lá adaptei umas 3 às claras que tinha e à quantidade de açúcar que achei razoável. Depois de batidas as claras e feita a massa, deitados montinhos brancos no tabuleiro, o forno deve ter funcionado, ou muito bem ou muito mal, mas acabei com suspiros gigantes em vez de pequenas pavlovas. Acho que não os deixei cozer muito e por isso acabei com umas nuvens gigantes para a sobremesa.
E é isso um problema? Nem pensar! A minha mãe, que enquanto criança só comia suspiros como doce, e por isso é uma conhecedora dos ditos, exclamou de satisfação que estes estavam deliciosos! Oh pra mim, contente e satisfeita! Fiz suspiros pela primeira vez, gigantes, fofos e branquinhos como as nuvens, e saí-me mais que bem!
Seja em bolos, pavlovas ou suspiros, aproveitar as claras é uma arte. De um desperdício que se acumula no congelador, nascem sobremesas fantásticas. E por isso escolhi esta receita para mais uma quinta-feira de “Há vida para além da massa de atum”. Uma sobremesa que aproveita desperdícios, rematada com fruta da época e ideal para o Verão. De certo que a Vânia vai adorar esta receita; e para não variar, espreitem o que é que ela cozinhou para nós.
 
Ingredientes, para 5 suspiros grandes:
5 claras à temperatura ambiente
280g de açúcar fininho
2 col.sopa de amido de milho
1 col.café de vinagre de vinho branco
 
Cobertura:
1 pêssego
1/2 manga (optativa)
Amêndoa laminada
Iogurte grego
Pré-aquecer o forno a 140ºC.
Batem-se as claras até que fiquem em castelo; quando atingir esse ponto, sem deixar de bater, adiciona-se gradualmente o açúcar – pouca quantidade de cada vez para que se incorpore lentamente.
Com uma colher, envolve-se no preparado o amido de milho e o vinagre.
Num tabuleiro forrado com papel vegetal, dividem-se 5 porções do preparado em montinhos. Leva-se ao forno, e deixam-se cozinhar por cerca de 30 minutos (as alterações são visíveis, pelo que irão aparecer umas pequenas rachas). Desliga-se o forno, entreabre-se a porta do mesmo, e deixa-se arrefecer por 20 minutos.
Retiram-se os supiros do forno, e com cuidado, transferem-se para uma rede para que acabam de arrefecer por completo.
Entretanto, parte-se a fruta e mistura-se numa taça.
Antes de servir, basta colocar por cima de cada suspiro 3 colheres de sopa de iogurte grego, a mistura das frutas, e finaliza-se com amêndoa laminada. Servir de imediato.
O contraste entre o crocante do exterior do supiro, com o seu interior suave e macio, com a frescura das frutas e a acidez do iogurte. Para mim, uma sobremesa que não falha, e que faz um brilharete.

5 thoughts on “Suspiros tropicais

    1. Podes sempre fazê-los em casa 🙂 Eu também já andava desanimada por nunca mais ter comido suspiros destes, que se colam aos dentes e se desfazem na boca. Em boa hora que me lembre de experimentar 🙂

  1. Agora deixaste-me definitivamente…a suspirar 😀
    Que pequenas (grandes!!!) maravilhas estas que nos trouxeste hoje! E a aproveitar claras melhor ainda 😉 hehe (já sabes como gosto destas coisas 😛 ). Também eu cresci com suspiros…mas, sinceramente, já não me lembro da última vez que comi um…parece que foi há uma vida, confesso. Mas agora fiquei cheia de vontade de experimentar…e esta tua versão tropical está mesmo à minha medida 😉

  2. Oi estou a procurar o porque que os Brownies craquelam e encontrei esse maravilhoso Blog. Essa receita de suspiro é muito boa. Já tentei fazer várias vezes mas fracassei e eu amo suspiros.
    Qual o segredo dos Brownies racharem por favor? Obrigada

    Sandra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *